domingo, 23 de Março de 2008

Hera a Deusa - Hera a mulher



Hera Deusa do Casamento, filha de Reia e Cronos ambos irmãos e Titãs, que também geraram Dèmeter, Hades, Héstia Poisedon e Zeus. Hera foi engolida pelo pai logo que nasceu como aconteceu com os seus quatro irmãos, à exepcção de Zeus, pois Reia sua mãe escondeu-o no Monte de Ida em Creta e deu a Cronos uma pedra enrolada em panos na vez do filho. Ao atingir a idade adulta, Zeus destronou o pai fazendo-o vomitar os irmãos e assumiu o Olimpo.

Hera tornou-se uma bela deusa que logo atraiu a atenção de Zeus, que já nessa época era o deus mais importante do Olimpo. Para se aproximar da deusa Hera, Zeus transformou-se num pássaro trémulo de frio, do qual Hera teve compaixão, pegou nele e apertou-o contra o seu peito, nesse momento Zeus voltou à sua forma humana e tentou seduzi-la, mas os esforços dele não foram bem sucedidos, Hera resistiu aos seus avanços amorosos até ele lhe prometer casamento, casaram, e segundo a mitologia, viveram em paixão durante 300 anos, mas essa paixão acabou e zeus voltou aos seu habitos antigos.

Zeus estava constantemente a trair Hera provocando-lhe ciumes e desejos de vingança, mas a cólera de Hera nunca se projectava no marido, mas nas "outras mulheres", existem numerosas histórias que retratam a cólera de Hera e a destruição que ela provocava cada vez que Zeus desonrava o casamento, que era sagrado para ela.

Por sua vez Zeus para demonstrar que não necessitava dela nem para ter filhos, deu à luz Atena Deusa da Sabedoria, nascida da sua prória cabeça já mulher, como reacção ao nascimento de Atena, Hera foi a única progenitora de um filho, Hefesto Deus da Forja, que ao contrário da perfeita Atena, nasceu coxo e foi expulso pela própria mãe Hera do Olimpo.

O arquétipo, de Hera como deusa "dominante" numa mulher representa em primeiro lugar o desejo de ser esposa, sente-se incompleta sem um companheiro, no dia do seu casamento esta mulher pode sentir-se uma deusa, pois para ela o casamento evoca sentimentos de realização e plenitude que prenchem a sua alma, para ela não basta apenas viver maritalmente, mesmo na nossa época em que esse papel já não é um estigma. Por conseguinte uma mulher "Hera", faz pressão junto do namorado para que a união seja reconhecida pelo exterior,fazendo questão de um casamento pela igreja.

Uma mulher "Hera" tem prazer em fazer do marido o centro da sua vida, havendo filhos, todos entendem a ordem do universo dela, sabem que o marido está em primeiro lugar, que o melhor é reservado para ele.

O arquétipo Hera revela-se por volta dos quatro ou cinco anos a brincar às "casinhas" a dizer " agora tu és o papá e vais trabalhar", se Hera tem irmãos (homens) também projecta nele a figura masculina do pai que ela gostaria de ter, o irmão é uma especie de protector de um pai poderoso e de certa forma dominador que não permite que a esposa tenho muitos interesses , que lhe vai resistindo passivamente enganando-o e escondendo-lhe coisas. Por isso Hera agarra-se a uma imagem idealizada do casamento e procura-o para si prória como maneira de sair de uma situação familiar má que à primeira vista nem o parece, mas que Hera viveu-o desde o nascimento.

De não esquecer que Hera mitológica foi entregue aos cuidados de pais odoptivos, que no arquetipo, os irmãos podem substituir a figura dos pais, mais os irmãos que as irmãs, pois Hera só se relaciona à superficie com as mulheres a não ser que a irmã seja "bem casada", o irmão será sempre a imagem masculina do pai, se este for casado a sua mulher poderá ser uma "boa amiga" dependendo da deusa "dominante" da cunhada.
Normalmente uma mulher "Hera" casa durante o ensino secundário ou logo após este, logo que tem namorado, tenta arranjar saídas com outros casais e festas, olhando de alto de " Hera Olimpica" para as comuns mortais sem namorado, exibe-se ao lado do seu par orgulhosamente feliz.
Ela espera que o marido saia para o trabalho, que regresse a casa a horas certas, que lhe telefone se por algum motivo se atrasar,que saia com ela nos fins-de-semana, que ele lhe diga amiudadas vezes que a ama, que se dedique na totalidade a ela, a felicidade dela depende da dedicação do marido e da importância que ele atribui ao casamento e da apreciação que faz dela como esposa.

Muitas mulheres "Hera" projectam no marido uma imagem de homem idealizado, e quando eles não cumprem as suas expectativas, criticam-nos, zangam-se, oprimem-nos tentam tirar-lhes a identidade e moldá-los ao seu sonho.

Uma mulher "Hera", tem filhos porque isso faz parte do seu papel de esposa, mas não terá instinto maternal, a não ser que "Démeter" esteja presente dentro dela, nem terá prazer em fazer coisas com os filhos, a não ser que Àrtemis e Atena também estejam presentes.
Se uma mulher "Hera" for mãe não conseguirá estabelecer um vinculo mãe-filho, podendo ainda cair no ciume na relação pai-filho, os filhos sentirão essa falha de falta de amor e protecção. Mesmo sendo mãe e esposa a tempo inteiro e esteja fisicamente muito presente na vida deles (filhos), eles sentirão falta de intimidade e um certo abandono emocional, pois quando uma mulher "Hera" tem de decidir entre o marido e os filhos, normalmente sacrifica os filhos para perservar o marido.

Lealdade para com o marido. Como se atreve um filho a pedir amor e atenção! Ele é Zeus, o senhor absoluto. Ele é o tal passarinho trémulo e carente de calor e da protecção de Hera.

Hera e o trabalho

Para a mulher "Hera", o trabalho é um aspecto secundário da sua vida, tal como tirar um Curso Superior, independentemente da profissão, da carreira ou do cargo que desempenhar, quando Hera é " uma força dominante", o trabalho é qualquer coisa que ela faz em vez de parte importante da sua vida, ela não sente que o seu trabalho tenha um grande significado, uma mulher "Hera" só superficialmente parece ter uma carreira, a sua carreira é o casamento, caso o marido tenha de se deslocar geográficamente nem que seja temporáriamente por motivos laborais, "Hera" dirá.."para onde fores...irei contigo".

Relações com outras mulheres

Uma mulher "Hera" não atribui normalmente muita importância à amizade com outras mulheres, em regra geral não tem "melhor amiga" prefere fazer coisas na companhia do marido, a não ser que sinta que a "amiga" seja casada ou que considere que não é potencialmente ameaçadora para o seu universo, ou porque quer ir a lugares que normalmente não iria sózinha.

Para uma mulher "Hera", quando o contacto com outras mulheres se realiza, a ligação que ela faz é geralmente uma especie de aliança mais do que uma amizade pessoal.
Quando sente que a "amiga" pode ser uma ameaça,"Hera" perante o marido minimiza-a e desvaloriza-a, sublinhando e exaltando os defeitos da "amiga" tecendo uma malha de histórias imaginárias mas sentidas.

Por isso muitas vezes a mulher "Hera", se por algum motivo se divorcia ou fica viuva, sente-se sózinha, perde a sua "identidade", pode entrar em depressão crónica, sente-se à deriva, não podem contar com o apoio dos filhos,uma vez que pôs sempre o marido à frente.

Não tem bons amigos, porque orientou a sua vida social em fazer tudo como um braço do casal, sente-se abandonada pelo seu círculo social, tal como ela tendia a se afastar de outras mulheres sós.

3 comentários:

  1. Minha cara Morgaine : esta mitologia grega é espectacular ! E assustadora !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nao e assustador tu e que tens medo hahahaha

      Eliminar
  2. esse site nao fala o que eu preciso quero mudancas exatas
    meu nome e augusto,20 sao paulo sou casado a 2 anos com um travestir

    ResponderEliminar